Os 5 pecados do fisioterapeuta

Gostaria de falar com você sobre os 5 pecados dos fisioterapeutas para suas tomadas de decisão profissionais.
Estou formado em Fisioterapia há mais de 30 anos e queria compartilhar um pouco dos erros que presenciei durante essa jornada.

5 pecados do fisioterapeuta.

5 pecados do fisioterapeuta na tomada decisão profissional.Estarei nesta página semanalmente dando dicas de gestão e empreendedorismo para os colegas da área de saúde.

Posted by Helder Montenegro on Saturday, May 21, 2016

 
No texto a seguir, eu deixo os principais pontos de cada um dos 5 pecados:
 
O 1º pecado é o fisioterapeuta não estar preparado tecnicamente para assumir seus pacientes, logo após a sua formatura.
Receber pacientes é uma responsabilidade muito grande. É muito difícil o fisioterapeuta, ou qualquer profissional da área de saúde estar preparado logo após se formar. É preciso fazer algo mais.
Uma experiência que tenho sobre esse assunto é o meu filho, o Igor. Os seus colegas perguntavam muito por que ele não estava estagiando com o pai. A resposta que ele dava era: ”porque ele não deixou”. A minha orientação é que ele deveria conhecer e ver doentes. Entender e ver as lesões. Atender em sistema público e ver muitos doentes. Ele fez isso por 1 ano. Perguntou, então, pra mim, se já estava na hora. E eu disse que não, que ele deveria buscar uma pós-graduação em uma área que ele gostasse que, no caso, foi Osteopatia. E assim ele fez e, após esses 2 anos depois de sua formatura, começou a trabalhar com a gente.
Pense bem na sua especialidade, na sua área. Procure alinhar experiências enriquecedoras com um título, se possível. Pense onde vai investir. Isso é tão importante quanto o seu curso.
 
O 2º pecado é ele não saber gerenciar sua agenda, sua clínica, seu consultório.
Na prática, o grande problema de o fisioterapeuta não saber gerenciar bem sua agenda é, na verdade, o fato de ele não gostar de usar um software que facilite a vida clínica, ter medo de enfrentar o desafio de gerenciar seu trabalho.
Eu garanto a você, o nome “software” assusta, mas não é algo complicado. E você também pode delegar o uso dessa ferramenta. Pense nisso.
 
O 3º pecado é ele não saber se valorizar, não saber quanto deve cobrar.
Quando você não souber quem está pagando a conta, normalmente esse alguém é você! Para precificar, você precisa definir aonde quer chegar. A partir daí, você consegue definir que valor que você precisa para pagar seus custos e ter uma boa qualidade de vida.
O total do valor dos seus custos pode ser encontrado dividindo o valor total dos custos da clínica pelo total de horas que você trabalha. Isso vai lhe dar uma ideia dos seus custos, e consequentemente, do valor mínimo que você deve cobrar.
Uma outra forma de precificação está relacionada ao valor agregado ao serviço que você presta aos seus pacientes. A pergunta é: qual é o valor que você construiu no seu serviço? Para o paciente, valor é o objetivo alcançado por ele, através do seu atendimento. Aquela satisfação de voltar a ter uma vida normal, a uma prática esportiva não tem preço!
O grande segredo de precificar é construir valor.
 
O 4º pecado: não se planejar e fazer todos os cursos que aparecem.
Fisioterapia esportiva, Osteopatia, Fisioterapia respiratória, RPG… São muitas opções a escolher.
Esteja atualizado sobre o que está acontecendo na sua cidade, no Brasil e no mundo. Procure colegas fisioterapeutas renomados, professores, instituições, escolas de cursos de qualidade.
Escolha uma área, converse com colegas bem sucedidos e vá em busca de capacitação profissional. Assim, você garante de 40 a 50% de chance de sucesso. O restante está relacionado ao sucesso em não cometer os demais pecados.
 
E o 5º pecado, um dos mais importantes, é não ter coragem de empreender.
Essa falta de coragem está relacionada às deficiências citadas nos pontos anteriores.
Na Fisioterapia, ainda é possível, com pouco dinheiro, montar um consultório ou uma franquia. Entretanto, por se sentir sem segurança e, principalmente, por não ter confiança que o negócio vai dar retorno e vai ser possível pagar as contas, muitos fisioterapeutas optam por continuar na zona de conforto.
Nesse contexto, eu convido você a conhecer mais das franquias de Fisioterapia das quais estou a frente: ITC Vertebral, Instituto Trata (junto com Thiago Fukuda) e Instituto Pilates (com Ingrid Quartarolo). Pesquise, veja o que cada uma oferece e as soluções de treinamentos, software para gestão, cálculos de precificação e muito mais.
 
Caso queira saber mais sobre franquias em Fisioterapia, clique aqui e tenha mais informações.
 
Espero que este texto tenha ajudado você a perceber alguns pontos de melhoria, para você crescer ainda mais como profissional e ter melhores resultados com seu trabalho. Você encontra vídeos falando de cada um dos pecados na minha página do Facebook.
Um abraço e sucesso!